Julho 22, 2024
Quais as causas da falta de memória após a COVID?

Perda de memória é um dos sintomas mais relatados por pessoas que se recuperaram da COVID

Normalmente, estes lapsos começam dias após a fase aguda (sintomática) e perduram por meses após a cura da infecção.

Mas afinal, quais as causas da falta de memória após a COVID?

Compartilhe nas redes

Índice de conteúdos.

Quais as causas da falta de memória após a COVID?

Um estudo da fio-cruz sobre a Fadiga Longa, doença reconhecida pela OMS em 2021, que atinge pacientes que se curaram da COVID, constatou que 78% dos portadores apresentaram falta de memória.

Apesar de muito estudo ainda ser necessário para compreender com precisão o fenômeno, a ciência já conseguiu identificar algumas causas para estes lapsos.

Confira abaixo as 4 principais causas da falta de memória após a COVID, já identificadas por especialistas.

1. Ataque do vírus ao hipocampo.

Segundo o estudo, spike desencadeia a destruição de sinapses no hipocampo.

Um estudo da UFRJ em parceria com a Unirio, divulgado no periódico Cell Reports, trouxe respostas sobre a falta de memória após a COVID.

A spike, uma proteína presente na superfície do corona, quando chega no hipocampo, atravessa com facilidade a barreira hematoencefálica, fronteira que regula a entrada de substâncias no cérebro. 

Quando alcança o hipocampo, ela é reconhecida por receptores TLR-4, que em resposta ao corpo estranho, geram uma inflamação. 

A falta de memória é causada pelas células de defesa, que na tentativa de combatê-las, destroem sinapses.

2. Processos inflamatórios em outras regiões do cérebro.

Inflamação é uma resposta complexa do organismo a lesões, infecções ou agressões.

No que diz respeito à COVID-19, os processos inflamatórios exercem uma influência significativa na perda de memória.

Além do hipocampo, outras regiões cerebrais ligadas à memória podem ser alvo do vírus, como o sistema límbico.

3. Hipóxia e alterações vasculares.

A hipóxia, que é a falta de oxigênio nos tecidos, também pode ocorrer durante a infecção por COVID.

Segundo especialistas, a redução do suprimento de oxigênio ao cérebro pode afetar negativamente funções cognitivas como a memória.

Além disso, alterações vasculares, como danos aos vasos sanguíneos, podem contribuir para a perda de memória.

Isso ocorre pois quando os vasos não estão funcionando adequadamente, as células não conseguem obter oxigênio e nutrição adequadas para manterem em plena saúde.

No cérebro, isso pode ocasionar, até, a destruição de células nervosas levar à perda de memória e outros danos cognitivos.

4. Quadros psicológicos anteriores.

Mulheres estão entre as mais afetadas por transtornos de ansiedade na pandemia

Pessoas com histórico de transtornos psicológicos, como a ansiedade e a depressão, são mais suscetíveis à fadiga longa e à perda de memória após a infecção por COVID.

De acordo com estudos, o estresse, a ansiedade e outros fatores emocionais podem agravar sintomas cognitivos.

Quais os sintomas da falta de memória após a COVID?

Os principais sintomas ligados à perda de memória após a COVID incluem:

Como o diagnóstico da falta de memória é feito?

O diagnóstico da perda de memória após a COVID é feito através de uma combinação de exames cerebrais de imagem e avaliação clínica.

A avaliação clínica envolve a coleta de informações sobre os sintomas do paciente, histórico médico e possíveis fatores de risco.

Exames de imagem, como tomografia (CT) ou ressonância magnética (RNM), podem ser usados para visualizar o cérebro e identificar anormalidades que possam estar contribuindo para a perda de memória.

Também, como vimos, em muitos casos, os sinais de perda de memória podem estar relacionados a quadros anteriores de transtornos psicológicos, como ansiedade e depressão. Logo, a avaliação desses fatores também é importante.

Tratamento da falta de memória após a COVID.

No momento, ainda não há medicação para tratar a perda de memória após a COVID

No entanto, algumas substâncias com ação comprovada na melhora da cognição podem ser prescritas pelo profissional médico.

Além disso, outras medidas que não envolvem o uso de medicamentos podem ser tomadas, como:

Considerações finais.

Saber as causas da falta de memória após a COVID é um importante passo para desenvolver métodos eficazes de tratamentos.

No entanto, entre o desenvolvimento, a aprovação e, por fim, a fabricação de um medicamento, é necessário um longo percurso.

Por enquanto, a orientação médica e nutricionista é adotar hábitos que comprovadamente são eficazes para a melhora da cognição.

Compartilhe nas redes

Picture of Raphael Tavares
Raphael Tavares

36 anos, formado em Mecatrônica Industrial e há 11 anos trabalhando no Administrativo do IAMSPE (Assistência Médica do Servidor Público do Estado de São Paulo). Seu hoobie é ler conteúdos relacionados à saúde e bem estar. Agora, criando seus próprios artigos.

1 thought on “Quais as causas da falta de memória após a COVID? Veja o que a ciência diz sobre isso

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *