Julho 15, 2024
erros que causam o efeito sanfona

Você já se pegou repetidamente ganhando e perdendo peso, como se estivesse preso em um interminável ciclo? 

Esse fenômeno, conhecido como efeito sanfona, é frustrante e pode ser prejudicial para a saúde a longo prazo, tornando cada vez mais difícil a perda de peso. 

Muitos de nós cometem erros comuns que contribuem para essa montanha-russa de peso, mas a boa notícia é que esses erros podem ser corrigidos. 

Neste artigo, vamos explorar os 5 principais erros que causam o efeito sanfona e, mais importante, como você pode evitá-los para alcançar uma perda de peso sustentável e uma vida mais saudável. 

Prepare-se para transformar a sua abordagem e dizer adeus ao efeito sanfona de uma vez por todas!

Compartilhe nas redes

Índice de conteúdos.

5 erros que causam o efeito sanfona e como evitá-los.

1. Mudança radical na alimentação.

Quando você toma a decisão de emagrecer, precisa tomar cuidado com a empolgação inicial e acabar tentando mudar tudo de uma vez. As chances de você abandonar o processo quando a empolgação passar, são grandes. 

Isso ocorre porque você possui hábitos que foram estabelecidos há muito tempo, inclusive até na infância. 

A mudança, então, precisa de etapas e adaptações para haver o menor estranhamento possível e uma adesão duradoura.

O correto a se fazer:

Crie metas progressivas tendo em mente sempre o que é possível manter a longo prazo, pois o processo de emagrecimento é longo, a perda de gordura não acontece do dia para a noite. 

Não se esqueça que além de emagrecer, precisa passar pela fase de manutenção do emagrecimento.

Pequenas mudanças iniciais podem causar grandes resultados, como:

2. Não considerar seu orçamento a longo prazo.

Mais uma atitude inconsciente movida pela empolgação somada, muitas vezes, a falta de conhecimento sobre o que realmente é necessário e o que é complementar ou desnecessário na alimentação. 

Você pode comprar alimentos em quantidades além do que irá consumir, alimentos que não costuma consumir e suplementos que talvez nem fossem necessários. Você esvazia a carteira e não consegue mais manter esse padrão.

O correto a se fazer:

Pare, respire e seja franco com seus gostos alimentares e não tente “empurrar” alimentos que nunca foram de sua rotina. Faça a lista de compras para evitar desperdícios. 

A melhor maneira de acertar na lista é criar um cardápio semanal com as refeições que fará no dia todo. 

Para evitar estragar vegetais na geladeira, compre uma quantidade para a semana.

Considere o que pode investir em alimentação mensalmente. O alimento sempre vem antes do suplemento. Quando falo em alimento, falo no básico. Não falo em barrinhas, bolachas fit… 

3. Restrição de alimentos em quantidade e qualidade.

A crença de que certos alimentos são vilões da dieta, que é preciso fazer uma redução drástica de carboidratos para emagrecer, leva a restrições severas que podem te deixar sempre com fome. 

Em pouco tempo seu corpo começa a apresentar sinais de fraqueza, cansaço, sonolência, estresse e uma vontade incontrolável de comer doces, por exemplo. 

Passar fome para emagrecer é inviável. O corpo entende que está passando por uma escassez de nutrientes e passa a armazenar mais do que gastar.

O correto a se fazer: 

As refeições devem ser completas, contendo carboidratos, proteínas e lipídios

Carboidratos dão o ponto inicial de saciedade e energia, os integrais, como cereais, auxiliam na manutenção da saciedade, controle da glicemia e saúde intestinal. 

Já proteínas prolongam a saciedade, preservam a massa muscular e controlam os níveis de açúcar no sangue. 

Os lipídios também mantêm saciedade, são fonte de energia, necessários para absorção de vitaminas lipossolúveis, síntese de hormônios, etc.

Quanto mais variada a sua refeição, menores as chances de cometer exageros, mais saciedade terá e mais nutrientes seu corpo poderá aproveitar.

4. Falta de organização e planejamento.

A maioria das pessoas vive uma rotina agitada e, ao tentar uma dieta de emagrecimento, se veem em desespero achando que precisam ficar na boca do fogão o tempo todo. 

Não levar sua rotina em consideração ao planejar as refeições também leva ao abandono do plano antes mesmo dos primeiros resultados.

O correto a se fazer:

Você conhece sua rotina e sabe os horários que fará suas refeições. Monte um cardápio semanal com as refeições de cada dia. 

Congele as carnes nas porções que irá consumir. Congele hambúrgueres caseiros e frango desfiado para lanches rápidos. 

Armazene os vegetais já limpos. Busque por receitas práticas, não precisa ficar elaborando pratos difíceis o tempo todo.

5. Mentalidade de autossabotagem.

“Dieta é difícil”, “Não consigo comer menos”, “Não sou capaz de controlar os doces”… Você é capaz de muitas coisas, mas existem tantos mitos relacionados à nutrição que talvez você ache que tudo parece muito impossível.

O correto a se fazer:

Tenha em mente que dietas são temporárias e mudanças de hábitos são para a vida. 

Você não tem que abandonar os alimentos que gosta e nem vê-los como um problema. 

Você precisa entender que deve fazer escolhas conscientes e sem culpa. Entender que, mantendo as refeições equilibradas e saciáveis, uma sobremesa não vai te fazer engordar. 

Inclusive, não se esqueça que é um ser humano e tem quebras de rotina como qualquer um. Sem culpa, apenas volte ao seu ritmo e as coisas voltam a se encaixar. 

Considerações finais.

Superar o efeito sanfona é um desafio, mas não é impossível. Ao identificar e corrigir os erros que levam a esse ciclo frustrante, você pode tomar o controle do seu peso e da sua saúde. 

Com essas estratégias em mente, você estará no caminho certo para um emagrecimento sustentável e uma vida saudável. Diga adeus ao efeito sanfona e diga olá a um futuro mais equilibrado e feliz!

Compartilhe nas redes

1 thought on “5 erros que causam o efeito sanfona e como evitá-los de uma vez por todas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *